Devido a todo desenvolvimento e melhoramento genético em suínos, surgiram linhagens comerciais com menor espessura de toucinho e maior deposição muscular. Isso promoveu mudanças na forma de enxergar a carne suína, passando de carne considerada gorda, para carne considerada magra e saudável (Wood & Whittemore, 2006).

Porém, as linhagens suínas modernas apresentam reduzido conteúdo de gordura intramuscular, também conhecida como marmoreio, que é extremamente importante para intensificar a suculência, maciez, e sabor da carne suína.

A betaína está relacionada com o metabolismo de regulação osmótica, atuando como osmólito orgânico e apresentando efeito protetor, protegendo células e organelas contra o estresse hídrico e realizando a manutenção da pressão osmótica no interior de células do intestino (Lipiński et al., 2012).

Com isso, a suplementação de betaína pode aumentar a digestibilidade, bem como a área de absorção dos nutrientes (Eklund et al., 2005).

Naturalmente, a betaína pode ser encontrada principalmente em vegetais como beterraba, brócolis e espinafre, além de ser encontrada em produtos de origem animal.